Publicidade em formato físico gera mais emoção

Publicidade em formatos físicos gera mais emoção

São cada vez mais os meios de publicidade, tanto físicos como digitais, que a questão que se coloca começa a ser não qual o melhor meio para atingir o consumidor, mas qual o melhor meio para atingir o coração do consumidor.

De acordo com um estudo recente realizado nos Estados Unidos, pela Temple University, tanto os meios físicos como os digitais geram não só reações, como também reações diferentes nos consumidores.

Segundo o estudo, quando o que está em jogo é chamar a atenção dos utilizadores ou consumidores, os meios digitais são mais eficazes do que os meios físicos, levando mesmo a uma resposta muito mais rápida por parte do consumidor.

No entanto, se o que está em causa é o envolvimento gerado, tanto pelos meios digitais como físicas, tanto um como outro revelaram bons resultados. No enato, o estudo do Universidade de Temple detetou que ao nível das emoções, os meios físicos se destacam. É que há muitas mais emoções em jogo quando o consumidor é impactado por um anúncio num meio físico do que num meio digital.

Já do ponto de vista da recordação, ambos os meios, físicos e digitais, são eficazes, embora os meios digitais levem à geração de recordações de forma mais rápida no consumidor.

Quanto à disposição para comprar, meios físicos e digitais geram bons resultados. No entanto, os meios físicos levam vantagem face à publicidade digital, induzindo um desejo inconsciente de consumidores para determinado produto ou serviço. Levam também a que o consumidor atribua, na maioria das vezes, maior valor aos produtos e serviços anunciados.

Para a realização dos estudo, os investigadores da Universidade de Temple avaliaram a eficácia de 40 meios de publicidade diferentes, tanto físicos como digitais.