Tráfego de pesquisa fundamental para conversão

Tráfego de pesquisa

Ao implementar uma estratégia digital, é indispensável ter em atenção a eficácia de cada canal online no que respeita à conversão. Neste sentido, e de acordo com um novo relatório publicado pela Adobe Digital Index, as pesquisas revelam-se como a fonte mais eficaz na Europa e América do Norte.

Nos últimos três anos, as pesquisas através e computadores tornaram-se o principal canal de conversão na Europa, revelando um crescimento modesto, mas constante. Em 2015, a taxa de conversão para este canal atingiu os 47,5% do tráfego total.

Além disso, a quota de tráfego direto tem vindo a diminuir gradualmente e, este ano, espera-se que não ultrapasse os 29 do total, no que respeita à taxa de conversão. Outras fontes de tráfego têm seguido o mesmo caminho como e-mail ou display, com taxas de 4,7% e 2,7% em 2015, respectivamente.

No caso da América do Norte, a história não é muito diferente. Novamente, o tráfego de pesquisa ganha este jogo, chegando a uma taxa de 44,5% do tráfego total.

No que diz respeito a visitas com origem em dispositivos móveis, tanto na Europa como na América do Norte, tem havido aumentos maciços nos resultados obtidos na fonte pesquisas, que se consolida como o principal canal a nível de conversão. Especificamente, a taxa de conversão através da pesquisa aumentou de 24,4% em 2012 para 42,9% em 2015, registando assim um crescimento de quase 20 pontos percentuais, impulsionado pelo menor tráfego directo, que passou de 51,2% em 2013 para 30,9% em 2015.

Enquanto isso, na Europa, as pesquisas chegaram a 47,2% do comércio resultante, novamente, a diminuição do tráfego directo, cuja participação caiu de 52,5% em 2013 para 33,1% em 2015.

No campo de e-commerce, o e-mail ainda é o mais eficaz no processo de conversão, tanto na América do Norte como na Europa. No entanto, as pesquisas ainda são uma boa alternativa, apesar de ser considerado um dos canais mais “ultrapassado”.