Receitas do digital atingem marco histórico

Interesse pelos "Phablets" está a crescer

A receita de publicidade digital aumentou 19%, para 27,5 mil milhões durante os primeiros seis meses de 2015, um marco histórico para a indústria desde que o IAB começou a compilar este tipo de informações ao longo de quase duas décadas.

As receitas de publicidade na Internet no segundo trimestre também cresceram 22,5% para os 22,5 mil milhões de dólares, em comparação com 11,7 mil milhões no primeiro semestre do ano passado, de acordo com um relatório quarta-feira compilado pelo IAB e PwC.

Os anunciantes continuam a investir em publicidade mobile, onde as receitas ascenderam a 8,2 mil milhões durante os primeiros seis meses de 2015, mais de 54% dos 5,3 mil milhões reportados no primeiro semestre do ano passado. O mobile lidera com 30% do total das receitas de publicidade digital.

As redes sociais também continuam no caminho do crescimento, cujas receitas atingiram 4,4 mil milhões no primeiro semestre de 2015, um aumento de 51% em relação ao mesmo período do ano passado. As receitas incluem sites como o Facebook ou Twitter, e sites de jogos sociais e apps, revelou IAB.

“Estamos a testemunhar uma mudança radical no comportamento do consumidor, para um consumidor sempre ligado”, disse David Silverman, da PwC. “Como resultado, vemos que as redes sociais continuam a alimentar o crescimento da tecnologia digital.”

O vídeo digital, que é uma componente da publicidade display, ascendeu a 2 mil milhões de euros no primeiro semestre de 2015, um aumento de 35% em comparação com 1,5 mil milhões para o mesmo período do ano anterior.

Além disso, as receitas de publicidade de pesquisa ultrapassaram os 10 mil milhões, um aumento de 11% face a 2014.

No entanto, a publicidade online ainda é um mercado concentrado, uma vez que 10 empresas líderes em publicidade garantiram 72% da receita total no primeiro semestre de 2015.

“O crescimento das receitas de publicidade na Internet está a ser impulsionado ainda mais do que antes, com os anunciantes a investirem em novas formas de atingir os consumidores”, disse Sherrill Mane, vice-presidente do IAB. “O público tem mudado rapidamente os meios de comunicação e hábitos de compra e fizeram com que os meios digitais e dispositivos móveis façam parte das suas vidas.”