Hugo Mendes – Diretor IMS Health

Hugo Mendes diretor da IMS Health

“Empresas Mais Saudáveis” é uma Iniciativa da IMS Health, naquele que é um programa que tem por objetivo eleger as empresas mais saudáveis em Portugal. Com o número de candidaturas mínimo já alcançado, o projeto  avança  a todo o gás, como contou Hugo Mendes em entrevista à Buzzmedia.

 

Em que consiste esta iniciativa da IMS Health “Empresas Mais saudáveis”? 

A iniciativa “Empresas Mais Saudáveis” consiste na eleição das empresas/ organizações mais saudáveis a operar em Portugal, através da aferição da saúde e bem-estar dos seus colaboradores por via de uma análise criteriosa aos seus parâmetros bioquímicos e psicossociais.

Este programa terá a duração de 3 meses, onde todos os colaboradores terão um acompanhamento clínico personalizado, numa base semanal, realizado por profissionais de saúde qualificados. Ao longo do programa, cada colaborador terá acesso a uma plataforma de saúde que lhe permitirá monitorizar a sua evolução de saúde, aceder a informação cientificamente validada e comunicar com o profissional de saúde que o acompanha.

No final do programa, os resultados de evolução de saúde serão quantificados individualmente e agregados no score global de saúde da empresa. Os scores das várias empresas candidatas serão comparados de forma a elegermos o ranking das “10 Empresas Mais Saudáveis” em Portugal. O objetivo será promover não só a consciencialização da população portuguesa para o risco cardiovascular e estimular a adopção de estilos de vida mais saudáveis com o apoio das entidades patronais do tecido laboral português, mas também evidenciar o trabalho já realizado por empresas portuguesas no que diz respeito à preocupação com a saúde e bem-estar dos seus colaboradores.

 

Como decorreu o processo de candidaturas? 

O processo de candidaturas está a decorrer conforme o esperado. Sendo esta a primeira edição do programa, sabíamos à partida que haveria alguma resistência na adesão ao programa pela maioria das empresas contactadas. No entanto já temos o número mínimo de empresas inscritas, o que possibilita o arranque oficial do programa. Temos um painel bastante dinâmico de empresas participantes, dos vários setores de atividade e de várias dimensões, pelo que será muito interessante comparar os resultados de saúde finais e perceber se existem padrões de consciencialização e preocupação com a saúde e bem-estar com os colaboradores. Contamos que o número de empresas seja seguramente superior na próxima edição do programa, resultado da divulgação ativa das entidades parceiras e do feedback positivo das empresas participantes na primeira edição.

 

Em que fase estamos do projeto e quais são os próximos passos? 

Neste momento estamos na fase de levantamento dos dados de saúde dos colaboradores das empresas participantes. Cada empresa será visitada por uma equipa clínica que rastreará cada um dos seus colaboradores, nomeadamente o seu risco cardiovascular e saúde psicossocial. O objetivo será diagnosticar a

condição clínica dos colaboradores e definir o objetivo final de saúde com vista à evolução dos seus parâmetros bioquímicos e estilo de vida. A equipa clínica acompanhará semanalmente os colaboradores de forma a ajudá-los no cumprimento do seu plano de saúde e contribuir para atingir os seus objetivos de saúde finais.

 

Que balanço se pode fazer até ao momento desta iniciativa? 

Até ao momento o programa está a ser implementado conforme o previsto nas várias empresas participantes e o feedback dos vários colaboradores acompanhados está a ser muito positivo. Tanto os responsáveis como as suas equipas demonstram elevada motivação para melhorarem a sua saúde e, consequentemente, contribuir para que a sua empresa seja eleita a “Empresa Mais Saudável” em Portugal.

 

Como surgiu este conceito de “Empresas Mais Saudáveis”? 

Como consultora mundial de saúde, a IMS Health tem acesso a inúmeros dados de saúde nos vários países onde está presente. Em Portugal, resultado da parceria com inúmeras entidades de saúde hospitalares e da tutela, temos vindo a realizar inúmeros rastreios na população e detectámos que o risco cardiovascular tem elevada incidência, nomeadamente, os AVCs e os enfartes agudos do miocárdio (principais causas de morte em Portugal). Estes resultados são bastante impressionantes uma vez que o nosso país beneficia de uma alimentação tipicamente mediterrânica e de excelentes condições para a prática de exercício físico outdoor. Neste sentido, desenhámos um programa que tem como principais objetivos maximizar a relação utente/profissional de saúde, aumentando a frequência de acompanhamento e criando plataformas de excelência que promovem a sua comunicação; e potenciar a consciencialização para a saúde da população, promovendo o acesso a informação cientificamente validada e desenvolvendo fontes de motivação que estimulam a pro-actividade de cada um na adopção de estilos de vida saudáveis e redução de comportamentos de risco. Uma vez que o adulto ativo passa cerca de um terço do seu dia-a-dia no local de trabalho, dirigirmo-nos às empresas foi o passo mais lógico. Desenvolver este programa junto dos adultos ativos possibilita o enfoque na prevenção e na passagem de ensinamentos de vida saudável que poderá aplicar não só no seu local de trabalho, mas também em casa junto da sua família.

O ranking das “Empresas Mais Saudáveis” promoverá uma competição saudável entre as equipas participantes, o que ajudará na motivação e no alinhamento dos colaboradores para um objetivo comum.

Resumindo, este programa pretende melhorar a saúde dos portugueses, traduzindo-se em ganhos não só pessoais, mas também ao nível da produtividade e responsabilidade social das empresas e na despesa de saúde do Estado.