Washington Post aposta na experimentação

The Washington Post

Nos últimos meses, o Washington Post, que pertence a Jeff Bezos, fundador e CEO da Amazon, tem feito um enorme esforço para aumentar o seu tráfego on-line, visitantes únicos. Um trabalho meritório que permitiu superar o New York Times durante os meses de Outubro e Novembro. A estratégia passa por permitir que os utilizadores testem o jornal antes de pagar a assinatura.

É que nem tudo são visitas. Como esta indústria tem demonstrado repetidamente, ganhar dinheiro com um meio online não é tão simples e muitos, como o próprio Washington Post, apostam nas assinaturas digitais como a principal fonte de rendimento, ainda que o diário dirigido por Bezos o faça com uma perspectiva diferente.

Em comparação com modelos mais tradicionais que exigem uma assinatura para ter acesso ao conteúdo, o Post decidiu tornar todo o processo mais fácil. “Não nos preocupa muito rentabilizar o jornal de forma adiantada” avançou Stephen Hills em entrevista antes de deixar o cargo de como presidente e diretor geral do jornal. O objetivo é “permitir que as pessoas experimentem” a oferta mobile do Washington Post, considerando que será mais provável que os leitores queiram pagar a assinatura mobile do diário.

Uma mentalidade que continua na linha que o jornal tem seguido recentemente, permitindo o acesso a ofertas mobile ou até mesmo pré-instalar a app mobile diária nos dispositivos Amazon Fire.