Wall Street Journal aposta no mobile

Wall Street Journal aposta no mobile

A aposta do Wall Street Journal está no mobile, uma estratégia para o futuro imediato e que vai levar ao lançamento de novas aplicações. Além de sua principal aplicação, dedicada ao conteúdo do jornal, existem outras três aplicações: WSJ Live, que oferece apenas o conteúdo de vídeo; What’s News, que seleciona dez histórias do dia e City, focada no mercado financeiro de Londres, e que se foca no milhão e meio de leitores que o WSJ tem em Inglaterra.

No entanto, segundo Edward Roussel, diretor de inovação do Wall Street Journal, o jornal irá aumentar a sua oferta de aplicações nos próximos meses. Uma estratégia que não surpreende, uma vez que, na maioria dos jornais, cerca de metade do tráfego tem origem no mobile.

Segundo Roussel, no WSJ registou-se um “forte” aumento no tráfego mobile, representando já 55% do tráfego. Recusando para já divulgar a temática das novas aplicações, aquele responsável adiantou o crescente interesse na “personalização da experiência notícia no espaço da empresa.”

A empresa-mãe do Wall Street Journal, a Dow Jones Company, está a seguir o mesmo caminho. Antes do Natal, pediu aos seus funcionários para submeter uma proposta de plano de negócios para uma aplicação. Entre as 60 propostas apresentadas, a escolha recaiu num projeto de uma app de jogos relacionada com notícias. “Estamos a premiar as pessoas mais inteligentes, com as melhores ideias para gerar engagement com os clientes através do mobile”, revelou Roussel.