Operadoras obrigadas a alargar banda larga móvel a mais 588 freguesias

The logo of Vodafone is seen at the company's headquarters Thursday, Dec. 21, 2000, in Duesseldorf, western Germany. The 65 meter (21 foot) high building is the former headquarters of Mannesmann Mobilfunk, which was taken over by the British company in February 2000. More that 1000 people will be employed at the Vodafone European headquarters. (AP Photo/Edgar R.Schoepal)

As operadoras vão ser obrigadas a alargar a oferta de banda larga móvel a mais 588 freguesias se quiserem ver renovada as suas licenças por mais 15 anos pela Anacom. Estas juntam-se às 480 freguesias que a Anacom já determinou obrigações de cobertura aquando do leilão para as licenças para o 4G.

Os operadores PT/Meo, NOS e Vodafone têm um ano para chegar a acordo para repartir as freguesias entre si, ficando cada um com a obrigação de assegurar a cobertura de banda larga móvel em 196 freguesias. “Caso não haja acordo, a Anacom decidirá quanto à distribuição das freguesias pelos três operadores, recorrendo para o efeito a um sorteio aleatório, que determinará a ordem pela qual os operadores escolherão as freguesias”, informa o regulador liderado por Fátima Barros.