Miguel Santo Amaro (Uniplaces): “Lisboa conseguiu sempre convencer-nos a ficar”

No primeiro dia de trabalho na Uniplaces, a primeira incubada da Startup Lisboa na rua da Prata, Miguel Santo Amaro diz que entre as mesas divididas e a sala onde a equipa de três co-fundadores trabalhava, havia a ambição. Vontade de fazer, de pôr mãos à obra. Na semana passada, a startup portuguesa inaugurou a nova sede em Lisboa – menos de quatro anos depois da fundação da empresa: da equipa fazem parte mais de 130 trabalhadores, dos quais quase 40% são estrangeiros.

Explica melhor: “Quando começámos, há três anos, o nosso maior senhorio de Lisboa tinha cerca de 150 quartos. Hoje temos senhorios a aproximarem-se das 1000 unidades, e isso é um crescimento brutal em termos de mercado. Alegra-nos imenso podermos ser um parceiro de crescimento desses negócios”. Em termos de negócio, o modelo é muito parecido com o do primeiro dia. “É interessante percebermos que, como modelo, a oportunidade está lá e é cada vez mais significativa. Vemos outros players internacionais a entrar. Para além de, obviamente, isso deixar-nos inquietos, dá-nos uma grande satisfação perceber que apostámos bem à primeira”, conta Miguel, acrescentando: “Vemos o mercado a evoluir de uma forma que nos faz pensar que o estudante realmente precisa de um serviço como o da Uniplaces. Hoje estamos nessa crista da onda, e a aproveitar o quanto ainda podemos fazer, tanto por estudantes e tanto pelos senhorios.”

Fonte: Dinheiro Vivo (continue a ler aqui e veja o vídeo)