Porto vai ter pólo para empresas criativas, de media e audiovisuais

matadouro-campanhaO presidente da Câmara do Porto, Rui Moreira, apresentou em Milão, durante a 21ª Trienal de Artes, Design e Arquitectura, o projecto para o antigo Matadouro de Campanhã.
A obra deverá ficar pronta a meio do próximo mandato, mas os concursos e procedimentos necessários para a sua concretização vão acontecer ainda no decorrer do actual mandato de Rui Moreira. O custo estimado é na ordem dos 10 milhões de euros.
A adaptação do espaço irá permitir alocar 10 valências-chave, que assentam nos três eixos da governação da cidade propostos pelo independente Rui Moreira, por altura da campanha eleitoral: Coesão Social, Economia e Cultura.
O antigo Matadouro irá comportar uma “Área de Empresas Criativas e Tecnológicas” nacionais e internacionais, o “Museu da Indústria”, com um pólo central e outro disseminado por vários espaços, uma valência dedicada à “Arte e Comunidade”, coordenada por agentes multidisciplinares que desenvolvam práticas em áreas sociais e artísticas, em articulação com o tecido social de Campanhã. Terá, também, a valência de “Reserva de Arte Contemporânea”, dando resposta a necessidades de espaço de reserva por parte de coleccionadores e artistas do Porto; irá conter uma “Nave-multiusos” preparada para acolher diversos tipos de apresentações, desde conferências, cinema ou eventos sociais, e um “Laboratório de Gastronomia”, projecto que combinará uma dimensão exploratória da gastronomia atlântica com práticas de lazer e consumo.
O equipamento vai ainda incluir “Estúdios Média e Audiovisual” para produção e gravação nas áreas do cinema, rádio, televisão e música, com espaços para arrendamento comercial e outros vocacionados para projectos pedagógicos emergentes. Outra das valências alocadas será destinada às “Artes e Ofícios Tradicionais”, que incluirá, por exemplo, locais de trabalho para encadernadores, estofadores, carpinteiros e outros artesãos. Terá, também, um “Pólo de Desporto”, com uma área desportiva coberta composta por um campo multiusos e respectivas instalações de apoio e, a terminar, uma valência de “Residências Artísticas”, com estúdios que incluem uma área de residência e de outra de apresentação pública destinadas a artistas nacionais e estrangeiros.
O projecto de arquitectura para a reconversão do antigo Matadouro Municipal do Porto é da responsabilidade da sociedade Garcia & Albuquerque, Arquitectos.
O antigo Matadouro Industrial de Campanhã encontra-se implantado num terreno com 29000 m2 e resulta de um projecto aprovado em 1910 pela Câmara do Porto, com entrada em funcionamento na plenitude em 1932 e desactivado há mais de 20 anos.