Maria Rueff dá a cara pela Caixa, com certeza

Depois de ajudar os portugueses a dar a volta, a Caixa volta a dar a volta à comunicação e regressa ao humor com Maria Rueff. A comediante é a protagonista da nova campanha do banco que arranca esta semana e quer colocar na boca dos portugueses a sua assinatura: “Na Caixa. Com certeza.”

“A Caixa no passado trazia aquele lado muito institucional do banco do Estado e, portanto, sentimos necessidade neste processo de trabalhar a marca de rejuvenescer, de modernizar e inovar a nossa comunicação. O humor é uma boa ferramenta para nos ajudar nesse processo”, justifica Francisco Viana, diretor de comunicação e marca da Caixa Geral de Depósitos. “Recorrer ao humor e neste caso concreto à Maria Rueff, que tem créditos firmados no humor, ajudar-nos a dizer a nossa assinatura, sem aquele humor barato, é um bordão que queremos pôr na boca dos portugueses: na Caixa. Com certeza”, explica o responsável.

“Temos uma assinatura fortíssima, que já tem uns anos”, refere Francisco Viana. “A Caixa é o banco que pode ajudar a dar certezas ao futuro e ao presente e vamos explorar uma grande ideia da dupla criativa da agência com que trabalhamos, a Fuel, o lado óbvio da nossa assinatura. Vamos por as pessoas a dizer a assinatura da Caixa”, reforça.

E nada como recorrer a uma figura conhecida, como Maria Rueff, com certeza. “Não sei se era inevitável mas de alguma forma tenho muito gosto de aqui estar”, diz Rueff. “Tenho alguma ternura pela Caixa porque é aquele banco que alguém sempre tem na família uma conta na Caixa ou teve. É um banco que representa um bocadinho de Portugal e eu gosto de me associar as marcas francamente portuguesas”, diz a atriz.

Na campanha Rueff veste a pele de uma personagem criada por terceiros, mas onde adiciona o saber de duas décadas a fazer humor. “A campanha foi pensada por equipas criativas, portanto estou de alguma forma a tomar meu um texto e uma ideia que foi pensada e concebida”, diz Rueff. “É uma personagem. Pensou-se numa mulher de 40 anos um bocadinho disparatada no sentido de bem-disposta e, sobretudo que desse um lado mais vivo e Up a este cinzentão que Portugal está a sair, mas ainda está um bocadinho”, conta. “Tem a ver com isso, com um lado positivo, otimista, para a frente e divertido. Enquanto comediante empresto esse lado divertido”, reforça.

Mas onde teve margem de manobra, havendo espaço para acolher o seu contributo. No making off da campanha que vai para o digital – com criatividade da Fullsix – takes foram repetidos com sugestões da atriz para obter o melhor efeito de humor. “Isso é muito generoso tanto das equipas como da própria Caixa”, afirma Maria Rueff.”As pessoas não têm muita noção, parece que a comédia acontece, ou que estalamos um dedo e fazemos umas macacadas. E fazer comédia dá imenso trabalho. O Solnado tinha uma frase: o improviso demora muito tempo a ser trabalhado, a ser estudado. O que parece ser espontâneo é muito trabalhado”, reforça. Nas filmagens “tiveram a generosidade de permitir que os meus 20 anos de humor e de prática, que trocássemos ideias. Foi o que assistiu hoje [nas filmagens dos filmes para o digital] e também se passa no filme. Uma coisa a quatro ou a seis mãos, de alguma forma”, diz.

A Fuel assina a campanha de televisão, com a produção do anúncio a ser garantida pela Garage, com realização de Rogério Serrasqueiro. A Fullsix assina a criatividade para a mais de dezena de anúncios que vão estar no digital.