O papel do papel, na era digital

O South by SouthWest é um dos maiores festivais de música, tecnologia, inovação. É claramente um evento dedicado à geração touch screen mas ainda assim, na edição de 2017, um dos participantes que mais se destacou foi um programa fundado por uma indústria cuja tecnologia tem dois milénios de idade.

O programa chama-se Paper & Packaging Board  e a tecnologia é o papel, uma tecnologia palpável, mas que tem pouco de touch. Ainda assim, soube criar interesse na marca ao apresentar soluções out of the box, tanto de forma metafórica como literal. Indo além das soluções tradicionais de embalagens em cartão, a Paper & Packaging Board apresentou no seu stand instrumentos musicais feitos de cartão para os visitantes tocarem, um modelo revisto das famosas caixas onde dormem os recém-nascidos finlandeses, uma prancha de surf que pode ser usada no mar, e até uma espécie de tenda futurista para lidar com as crises de refugiados ou para alojar pessoas sem abrigo.

No fundo, mais do que apresentar produtos inovadores, a marca soube apresentar uma forma inovadora de pensar sobre uma tecnologia que todos imaginávamos estar estagnada. E ao recorrer às temáticas da proteção ambiental, da responsabilidade social e do lifestyle, soube apelar a um target altamente envolvido na evolução tecnológica, conquistando um potencial de mercado que estava por explorar.