A desinformação pode ser perigosa para marcas que pretendem alcançar os jovens

O vídeo hoje é uma ferramenta indispensável de comunicação para qualquer empresa. Quando se trata de um vídeo publicitário, ele deve ser o mais rápido e objetivo possível. Há que ter em atenção alguns aspetos importantes para quando se quer fazer publicidade adequada a um público específico. Um dos casos é a desinformação como refere um artigo do Channel 4 (canal televisivo britânico).

Para a estação, existe muita desinformação no que se refere a publicidade em vídeo para públicos mais jovens.

As marcas não podem “acreditar” que os jovens apenas se interessam por plataformas como o YouTube e o Snapchat. Georgina Harvey, gerente de pesquisa do Channel 4, explicou no Thinkbox que num estudo feito a mil jovens dos 16 aos 24 anos, apesar de a perceção ser que os jovens já não veem televisão, o mesmo comprova que isso não é verdade.

Dos mil jovens pesquisados, 90% disseram ter visto televisão no último mês. Já 94% dos entrevistados assistiram a vídeos através do YouTube, Vimeo ou Vevo. Quase todos (92%) usaram pelo menos uma rede social.