“Conteúdo não planeado” é onde reside a vantagem estratégica das marcas

São extremamente interessantes os resultados de um relatório recentemente elaborado pela Outbrain e pela Opinion Matters, que aborda os hábitos de consumo de informação levados a cabo por vários setores demográficos. O relatório intitula-se “Unconscious Content Bias” e entre as revelações mais significativas estão os dados sobre o consumo de “conteúdo não planeado”.

Chamam-lhe “não planeado” na ótica do consumidor, obviamente, porque se trata de conteúdo que é consumido sem que haja uma intenção inicial de o fazer. Ou seja, quando abrimos o nosso browser para pesquisar um tema que nos interessa e, através de artigos relacionados, damos por nós a ler sobre um assunto completamente diferente durante 20 minutos, isso é conteúdo “não planeado”.

E porque é este tipo de conteúdo tão importante? Bem, o relatório indica que este tipo de conteúdo corresponde a mais de um terço de todo o conteúdo que consumimos online.

Se olharmos para a faixa etária dos millenials, que passa cerca de 3 horas diárias a consumir conteúdo online, podemos constatar que as marcas têm toda uma hora disponível para apresentar novos produtos e serviços a esta (cada vez mais) importante amostra da audiência.

Mas não é só junto dos millenials que o “conteúdo não planeado” tem peso. Nos consumidores com idade superior a 45 anos, este tipo de conteúdo é visto com bons olhos, especialmente quando os expõe a produtos que desconheciam e que têm potencial para beneficiar o seu quotidiano.

© OUTBRAIN

Como entrar neste espaço de características tão próprias? Bem, definir uma estratégia para entrar em território literalmente desconhecido não será, nunca, algo óbvio. Mas apostar numa estratégia de content marketing por oposição a uma estratégia puramente tradicional, deverá sempre ser o primeiro passo. Procurar conhecer o público e popular os interesses periféricos ao core business da sua marca deverá ser o segundo.

Imaginemos que um surfista abre o seu browser para pesquisar as melhores ondas e acaba, meia hora mais tarde, a ler um artigo sobre seguros de viagem. Ele não tinha planeado para que isso acontecesse, mas se calhar, vai ser esse o fator que torna mais tranquila a sua viagem a Bali.