Os perigos da publicidade de medicamentos: as consequências de um anúncio com um ator de Hollywood

Quando a empresa farmacêutica Avanir lançou um anúncio televisivo sobre o síndrome Pseudobulbar com o ator Danny Glover (mais conhecido por “Arma Mortífera”, 1987), estava longe de imaginar que tivesse resultados tão contraditórios. Segundo um artigo do NY Times, se por um lado a campanha fez disparar as vendas do seu novo “medicamento-estrela” e o único no mercado e aprovado pela reguladora FDA com uma fórmula específica para este síndrome, o Nuedexta, por outro falhou em alertar para os efeitos secundários do produto, fazendo com que algumas pessoas o tomassem juntamente com químicos com os quais não devem ser misturados.

O problema é que os limites legais na comunicação da indústria farmacêutica tornam muitas vezes os anúncios demasiado generalistas, colocando afinal o público em risco.

No anúncio com Danny Glover, o ator tenta explicar o que é o síndrome Pseudobulbar, uma condição que leva as suas vítimas a chorar ou a rir sem justificação, inesperadamente. No vídeo, Danny Glover explica que, como ator, ele pode facilmente dar uma gargalhada ou desatar num pranto sem problemas, mas que os doentes de Pseudobulbar não conseguem controlar estas emoções. O anúncio motiva pessoas que suspeitem sofrer desta condição a conhecer os factos sobre a mesma, através de um site criado pela Avanir e uma linha de atendimento, sem mencionar o nome do medicamento.

Se por um lado o anúncio aumentou a consciência do público sobre a doença, e as vendas de Nuedexta, por outro lado também levou pessoas altamente emocionais mas sem síndrome Pseudobulbar ao médico, onde muitas vezes lhe foram receitados antidepressivos. Por outro lado, o desconhecimento da doença e do medicamento por parte de alguns médicos, assoberbados por uma inesperada afluência de pessoas com receio de sofrer do síndrome de Pseudobulbar, levou a diagnósticos e prescrições médicas erradas. Como o anúncio não refere claramente o nome do medicamento, nem explicita os seus efeitos secundários, inadvertidamente os médicos receitaram-no sem saber que, por exemplo, pessoas com problemas de coração não o deviam tomar.

As consequências do anúncio com Danny Glover foram então muito complexas para a Avanir. Em alguns casos, o facto de não ser mencionado o nome do medicamento prejudicou as vendas, já que muitos doentes saíram dos consultórios com outras receitas. Por isso, recentemente a empresa investiu num novo anúncio, em que a fórmula e as contra-indicações do Nuedexta são detalhadamente comunicadas.