Wyclef Jean faz casamento entre marcas e música

O antigo co-fundador dos The Fugees mostrou estar tão envolvido na música como no marketing, nos prémios Lions em Cannes, o festival da publicidade, de acordo com um artigo no site AdAge. Além de ter participado como jurado na categoria de Entretenimento no certame, apresentou-se num painel sobre o negócio da música, ao lado dos responsáveis pela sua discográfica e o Shazam, que criaram um projeto multimédia de realidade aumentada para promover o seu último álbum.

Wyclef Jean admitiu que a sua carreira musical tem beneficiado de boas jogadas de marketing, como quando decidiu “ressuscitar” uma música inicialmente criada para o filme “Dirty Dancing: Havana Nights” e torná-la no êxito “Hips Don’t Lie” com a Shakira, um dos singles melhor vendidos do século XXI. No painel, deu a entender que está interessado em criar músicas especialmente concebidas para marcas.

Segundo Wyclef, o futuro das marcas poderá estar na música, e este cantautor haitiano tem uma “grande ideia” para fomentar a aliança entre o marketing e o mercado musical – que irá manter em segredo por enquanto, para que não lhe roubem os planos.

Para o músico, existe uma grande diferença entre “vender a sua imagem a uma marca” e associar-se a um produto para um anúncio ou uma campanha. Se um músico vender a sua imagem a troco de dinheiro, significa que não tem talento suficiente para criar algo original e diferenciador e que procura apenas pagar contas, diz Wyclef. “Quando é feito da maneira correta, pode funcionar. O anúncio da Nike com o Chance the Rapper ganhou o Leão de Ouro [em Cannes]. Era um anúncio incrível. Quando uma marca se alia à música, nada supera isso”.