Manuel Falcão (Nova Expressão) e as suas perspetivas para 2018. Não deixe de ler!

Manuel Falcão
Diretor Geral da Nova Expressão

Na sua ótica, qual o principal desafio do marketing e publicidade do seu mercado para 2018?
Numa paisagem mediática cada vez mais dispersa, com alteração de hábitos das pessoas, o principal desafio é encontrar os pontos de contacto certos com os consumidores de forma a garantir a eficácia da comunicação dos anunciantes. Cada vez existem menos receitas feitas. Compreender os objetivos das marcas e conjugá-los com os interesses dos consumidores continua a ser o desafio base de toda esta atividade. Só que agora todos os dias nascem novas possibilidades e alteram-se os padrões existentes.

Que tendências identifica de marketing e publicidade que lhe pareçam cruciais no setor em que opera?
Três pontos: aplicação de inteligência artificial a compra programática; ferramentas de geolocalização; e capacidade de gerar estratégias multi-meios eficazes e flexíveis. O digital, que é já o segundo meio em termos de captação de investimento publicitário, logo a seguir à televisão de sinal aberto, ocupa um segmento cada vez maior da atenção das pessoas e todos os dias muda um pouco, abrindo novas possibilidades. No entanto as pessoas continuam a ver televisão, a rádio é um meio eficaz que não pode ser subalternizado, a imprensa é ainda importante em termos de credibilidade e posicionamento e o outdoor tem relevância em muitos casos. Por isso é fundamental estudar o melhor mix – a capacidade de fazer uma análise fina que detete os pontos de contacto é cada vez mais importante.

Na era digital em que vivemos atualmente, como vê o futuro da sua marca/setor de forma a tornar-se relevante?
O fator humano, e a capacidade de atrair e reter colaboradores com formação atualizada são as nossas maiores preocupações. É das pessoas das nossas equipas que depende o serviço que prestamos aos clientes, a confiança que depositam em nós. E é da nossa experiência e capacidade de adaptação e resposta que depende o êxito das campanhas que planeamos.

Qual a importância que dá ao conteúdo de marca de informação dos grupos de media e como interpreta a sua importância independentemente da plataforma?
As grandes marcas de informação são uma garantia de veracidade das notícias. Numa altura em que abundam casos de fake news, as marcas estabelecidas nos meios tradicionais têm uma vantagem competitiva importante de que têm de cuidar e saber aproveitar.

Considera que a associação a marcas de informação reconhecidas pelos portugueses vai tornar a sua marca mais relevante e dar-lhe mais prestígio? Considera que são uma mais valia para vincular branded content?
Se confiamos numa marca de informação, confiamos nos seus conteúdos. Mas as marcas têm que ter cuidado com os conteúdos e com a forma como os veiculam, para evitar que a propaganda se sobreponha à informação.