O futuro do marketing pode estar na Realidade Virtual

O maior trunfo da Realidade Virtual (ou virtual reality, VR) não são os jogos ou a televisão: é a publicidade. De facto, segundo um artigo do Marketing Tech News, a “relação amorosa” entre o marketing e a realidade virtual começou há anos. Tanto que hoje não é estranho ter o VR no plano de uma campanha.

É certo que, devido aos seus custos, o VR não estará ao alcance de todas as marcas. Contudo, especialistas defendem que é um investimento que se paga sozinho.

Mark Miles, CEO da Render, criadores de soluções tecnológicas imersivas para marcas como a Airbus, MSA e a Arval, explica: “O VR é, obviamente, sinónimo de dois dos maiores objetivos de um marketeer: entretenimento e envolvimento. Mas isso não significa que devemos ignorar o maior potencial do VR. Combinado com um motor de busca, conseguimos oferecer uma miríade de conteúdo num segundo, e assim a realidade virtual torna-se verdadeiramente atrativa para marketeers e marcas”.